23.7.10

Muda que o mundo muda com você...

(post dedicado à Dani, ao Muno e à Shu, sem eles eu não estaria aqui, teria desistido no meio do caminho, não teria um armário montado, entre outros agradecimentos mil. Tenho poucos amigos, mas tenho os melhores amigos do mundo)

...e é exatamente assim que estou me sentindo. Mudei um mundo, o nosso mundo, meu e de Ben.

Desde que o pequeno tinha casa, comida e roupa lavada dentro da minha barriga, eu pensava que cá de fora eu precisaria de um cantinho só nosso para poder criá-lo da maneira que eu desejava. Mas é muito difícil sair de casa quando se tem tudo o que precisa ao alcance dos dedos, todo o conforto e os mimos que só uma casa de vó pode te proporcionar. A casa da minha avó, onde eu morava até a semana passada, é grande, Benjamin tinha espaço para brincar, pintar, bagunçar, aprender a andar... E afinal, nem é tão ruim assim que ele cresça ouvindo todo mundo gritando um com o outro, eu cresci e sobrevivi, não é?

Não é. Mil e um acontecimentos me fizeram tomar essa decisão de supetão, em uma semana decidi que sairia de casa e no final dessa mesma semana já estava efetuando a mudança. Foi complicado para minha família, para mim, e especialmente para Ben, que se viu jogado no meio de uma bagunça enorme em um apartamento pequeno. Aonde foram todas aquelas pessoas? Para quem ele daria bom dia ao acordar? Aonde está a terra que ele tanto gosta de comer?

Está lá, na casa da bisa. Agora mamãe e ele tem um espaço só para eles, um espacinho, é claro, mas um espaço onde eles podem ser eles mesmos, aprender a falar em um tom de voz mais baixo, ler seus livrinhos no meio da sala e não ter problema em deixa-los lá mesmo por um tempo, aprender a ouvir um ao outro sem ninguem interferindo, aprender a viver juntos, só os dois.

E embora a mudança seja difícil e ele ache que o apartamento é um pouco pequeno demais para todos nós e os móveis (quantos móveis, né filho?), ele vai se acostumar. Agora mamãe almoça com ele, exatamente a mesma coisa que ele almoça. Agora mamãe não tem mais dentro de casa aquelas coisas empacotadas, brilhosas, gaseificadas, que tanto eriçavam sua curiosidade e mamãe disfarçava para você não querer.

Além do mais, Benjamin já fez um amiguinho no andar de cima. Dois, mas só um tem a idade dele e fica o dia inteiro em casa, como ele. E no térreo, apesar de não poder andar na terra, quiçá comê-la, Benjamin pode correr (quase) à vontade, efetivando sua situação de caminhante, corre tanto que caiu e machucou a boca nas pedras. Machucou mesmo, de verdade, seu primeiro machucado que sangrou bastante e deixou a Andresa bem nervosa, achando que mamãe ia brigar com ela por ele ter caído.

A primeira queda de muitas, eu sei. Tanto que mamãe correu para estocar a farmacinha com band-aids, antisséptico, arnica, porque agora comprar essas coisas é responsabilidade dela. Pagar a luz é responsabilidade dela. Fazer a feira da semana é responsabilidade dela. Lidar com a síndica insuportável é responsabilidade dela. Isso tudo enquanto mamãe tenta se estabilizar no trabalho. Então ele vai ter que desculpar se a mamãe não está dando toda a atenção que ele merece, entre fazer o almoço e levar o lixo para baixo. A mamãe nunca foi dona de casa antes. Mas os dois vão aprender tudo, juntos.

7 comentários:

Anninha 24 de julho de 2010 17:22  

Mundo novo, né, amiga? Como eu nesse mundo novo da maternagem... boa sorte para nós!

Bruno Normande Lins 24 de julho de 2010 18:52  

Q_Q

E vc sabe que estamos aqui para qualquer coisa, a qualquer hora.

Acima de tudo estou orgulhoso de vc nana.

=****

Shuellen 24 de julho de 2010 20:02  

Faço minhas as palavras do Muno! Em vários momentos precisamos mudar muito e bruscamente, faz parte da vida, e é necessário ser forte para dar conta. E força, minha amiga, vc tem de sobra!
Estou aqui pro que der e vier, e por um motivo: Amo muito vocês dois!
=**

Aline Tavares 24 de julho de 2010 23:08  

Nanda, tô tão feliz por vocês!
Não há coisa melhor no mundo do que ter nosso canto, poder fazer as coisas como a gente acha melhor, sem ter que ficar se explicando, discutindo, argumentando (bem, pelo menos pra tu, que está solteira :P).
Torço para que tudo se ajeite, o funcionamento da casa entre nos eixos e você possa criar Ben da melhor maneira possível, do seu jeito.
Se precisar de ajuda virtual, estamos aí. :)

Beijos.

Mariana Tezini 30 de julho de 2010 21:15  

que bacana nanda, vai ser delicioso vcs conviverem assim, bem de pertinho. é a companhia mais maravilhosa do mundo e vcs vão poder fazer as loucurinhas só de vcs de vez em quando

beijo e boa sorte ai

Carol_Rodarte 3 de agosto de 2010 09:43  

QUe passo enorme! a vida é feita dessas escolhas ne?!

parabens pela força e tenho certeza q vcs vao ccrescer muito juntos!

Cajuína Cristalina 5 de agosto de 2010 16:23  

Nanda, logo que soube da tua mudança achei o máximo. Há muito tempo também eu e thiaguinho pensamos em quando será a nossa vez e lembraremos dessa tua história para mudarmos mais tranquilos. o mais dificil agora para a gente está sendo encontrar uma forma de alguem ficar com ele enquanto não estou. e qto ao seu zelo por não estar presente o tempo todo, entendo, e lembro da minha mãe. faz parte, é fazermos o nosso qdo estamos perto. bjinhux para os dois e sorte. qdo vierem visitar a bisa toca aqui em casa.