11.4.10

A festa

Aconteceu. Acabou agora há pouco. Achei melhor falar dela enquanto ainda estou no sugar-buzz. Mas vai ser rápido, acho que depois descrevo melhor, mas provavelmente ficarei com preguiça.


Queria fazer uma decoração de garrafa pet, com bolas como o enfeite principal, mas não consegui aprender a fazê-las. Então optei pela decoração com malhas, que são alugadas, fica bonito, não é tão caro e é mais ecológico do que balões de látex. 

Optei desde o começo por não usar descartáveis. Passei décadas numa indecisão, se comprava canecos de acrílico personalizados, se comprava squeezes, se comprava copos-sanfona. Não fiz nenhum: comprei copos de acrílico numa promoção do supermercado e mandei fazer silk neles. Saiu caro, muito caro. Mas mais barato do que as outras alternativas. O meio-ambiente agradece, e os convidados também, teve gente que levou 5 copos pra casa, hahaha.

Daí o bolo. Ai, o bolo. Como bolo implica prato descartável e muito desperdício de comida, optei pela torre de cupcakes. Daí mandei uma foto pra mulher, essa: 


Daí ganhei esses cupcakes, uma interpretação niilista do que eu queria. Chorei um pouco, mas depois encarei com humor. 


Daí mandei pro Cakewrecks e estou esperando minha fama.

Os salgados foram outro problema né. Porque o pessoal que faz é adventista, e eles não trabalham aos sábados. Então peguei tudo na sexta de tarde, e você tinha espaço na sua geladeira pra 350 mini-pizzas e 300 mini-torteletes? Eu não. Botei uma pá de coisa pra fora, aluguei a geladeira de Victor, mas coube, durou, ficou bom. Só que sobrou comida pra burro, porque primeiro que eu usei uma base de cálculo de um site de casamento (15 salgados por pessoa), segundo que como o sistema aqui era self-service, o pessoal meio que ficava com preguiça de ir buscar a comida e os salgados ficavam um pouco esquecidos, além do fato de todo mundo estar com medo de comer por saber que eu sou "esquisita e vegetariana". Mas sobrou menos do que eu esperava, confesso.

Os sucos foram tudo de bom. O moço foi super solícito durante toda a negociação, ainda me emprestou o isopor e ele mesmo trouxe o gelo, ajudou a montar tudo aqui, se precisarem de indicação eu dou. Mais uma vez, eu não tinha grana pra garçons e ia dar uma mão de obra imensa colocar os sucos nas jarras pra servir, essa empresa faz sucos naturais e coloca em copinhos, daqueles de 300ml, pra festas eles levam em garrafões de 20l daqueles de água, sabem? Aí eu tive o acaso fortuito de encontrar uma coisa mágica no centro, algo mais ou menos parecido com isso
que você encaixa na boca do garrafão, aperta e o suco sai. Foi perfeito. Os garrafões ficaram no isopor com gelo, só a boca pra fora, com isso encaixado. Aí as pessoas iam lá e se serviam. Não ouvi nenhuma reclamação pelo fato de não ter refrigerante, foi bem bacana ver as crianças tomando dos dois sucos e da água de côco, copos cheios! E eu achei que nesse esquema self-service ia desperdiçar muito suco, mas nem. Joguei pouca coisa fora. A água de côco foi a primeira a acabar, 30 litros. Ainda sobraram mais ou menos 10 litros de cada suco (acerola e goiaba), vamos levar com a comidas restante pra Casa dos Pobres amanhã.

Vieram mais convidados que eu esperava, mas menos do que eu convidei. Daí sobraram lembrancinhas. Mas nem achei ruim, nunca se pode ter ecobags em demasia. As lembrancinhas de criança que sobraram ficou uma pra casa de Victor e uma pra cá, assim Benjamin tem dedoches e audiolivros nas duas casas. 

Enfim, estou terminando de escrever isso quase 24 horas depois de ter começado. Nem reli o começo para evitar a fadiga. Benjamin ganhou muitos presentes, mesmo eu tendo colocado no convite que não era necessário trazer. Demos dois pra ele hoje, daremos os outros ao longo do tempo, até porque alguns não são pra idade dele ainda. Ganhou muitas roupas, cada uma mais linda do que a outra, algumas que também ainda não servem.

Hoje quando o moço das malhas veio retira-las, ele não gostou muito. Ficou bravo, brigou com ele, queria a casa toda colorida. Quem lidou foi o pai, já que eu estava, mais uma vez, fazendo um concurso. É, não passei naquele outro, nem vou passar nesse. Mas estou fazendo o TCC, não é isso que importa?

3 comentários:

Anninha 12 de abril de 2010 09:51  

Nanda, eu achei tudo perfeito, viu? Maravilhoso, adorei de verdade! A ecobag é tudo de linda! Adorei os copinhos tb, estava com vergonha de trazer, mas o Victor saiu correndo e entregou a minha e a do meu marido. E eu uso, viu? rsrsrs

O centro de mesa vai ficar no quarto da Ísis, por enquanto está na sala. Mas esse tem foto do Ben; colocar foto de menino fofo no quarto da filha pode despertar paixão precoce? rsrsrsrsrs

Os salgados podem ter sobrado não tanto pela preguiça, mas talvez pq alguns convidados talvez tenham ficado sem jeito, como eu, rs. Meu marido adorou a minepizza, e olhe que ele é super preconceituoso pro lado dos integrais.

Ah, e o cupcake estava uma delícia, confesso só aqui pra nós que me arrependi de só ter comido um, rsrsrsrsrs.

Tomara que a roupinha caiba no Ben qq dia, queria ver uma fotinho dele usando (foi uma vermelha com um buldog rockeiro, hehehe).

Beijocas! Adorei te conhecer mais de perto, desejo que essa proximidade se intensifique.

PS: vc disse que traria algumas coisas na Casa dos Pobres? Moro pertíssimo! Se eu soubesse te traria em minha casa pra tomar um suco ou uma água, hehehe!

Nine 12 de abril de 2010 11:16  

Que legal! Parabéns para o Ben! E parabéns para vcs que organizaram a festa né? Porque organizar, não é nada fácil! Abraços!

Dani e Clarice Franco 14 de abril de 2010 11:34  

Nanda querida,

mais uma vez parabéns pela garra de manter "a dor e a delícia" de ser o que és...

Um mooonte de parabéns pra você e pro seu Ben!!!

Beijos muitos, meus e de Clarice.

P.S: Estou pensando em fazer a festa de 02 anos dela num parquinho, tipo piquenique, até setembro vou matutando.