2.6.10

Nossa! Quase um mês sem postar. Será que ainda tem alguém por aqui?

Vou postar rapidinho só pra contar as novidades, pra registrar. Eu comecei um novo emprego que está tomando muito do meu tempo, e Ben está sentindo isso. Está num apego só comigo, quando eu estou perto não vai pra ninguém, se eu saio de perto fica me procurando, é desesperador!

Por enquanto estou trabalhando de manhã em um local (estágio, que acaba semana que vem) e à tarde nesse outro local, e em breve trabalharei de manhã e à tarde no mesmo lugar. Vai dar pra vir em casa almoçar, passar um tempinho com o filhote, e eu vou tentar negociar com eles pra trabalhar de casa pelo menos 3x na semana no período da manhã. Porque inicialmente o acordo era que eu iria trabalhar apenas meio período, mas surgiram novas demandas e eles me querem em tempo integral (acho que isso significa que eu estou fazendo um bom trabalho, será?)

Enfim, se eles não toparem isso de trabalhar em casa, não vou ficar integral, sob risco de demissão. Porque né, a prioridade é meu filho, eu deixei isso bem claro desde o princípio, e felizmente eu tenho a sorte de não precisar trabalhar pra me manter. Sim, é um retrocesso, poucas pessoas tem uma oportunidade de emprego imediatamente após a faculdade, ainda mais um emprego tão bom, com tantas oportunidades de contatos, mas eu me martirizo todo dia pensando que Ben pode dar seus primeiros passos (oficiais) e eu não estar presente.

Aliás, ele evoluiu bastante nesse processo de andar. Amanhã completa 1 ano e 2 meses, e ainda falta um bocadinho pra ele andar sozinho, apesar de muita gente ficar chocada que ele não tenha andado até agora. Antes ele só andava com as duas mãos seguras, agora só precisa agarrar um dedo em uma mão e avante! Mais de uma vez ele andou uns 3, 4 passos sem segurar em nada, mas foi inconscientemente, sem perceber. Se ameaçamos soltar sua mão quando ele está andando, ele senta imediatamente. E chora.

E só quer saber de andar. Estica a mãozinha e diz "andá, andá", e no fim de tarde já aponta o chinelo ("papa", de sapato), e diz "ua" que é rua. Ainda não se adaptou muito ao chinelo porque é uma novidade, começamos a usa-lo na semana passada para que ele pudesse dar esses passeios na rua no final da tarde, mas ele pisa todo engraçado, pé chato herdado do pai. Prefere muito mais andar descalço, e cá entre nós, eu também prefiro, acho que descalço é mais fácil pra formar a curvinha do pé.

Estamos começando a época de São João aqui em Maceió, o que significa bombas, muitas bombas. São João e Copa do Mundo então, nem se fala! Já o estou acostumando ao barulho de antemão, quando ele ouve um "bum" ele mesmo diz "bamba", e quando perguntamos a ele como a bomba faz, ele faz "beeeei" e levanta as mãos. Também aprendeu a gritar gol, mas ainda não sabe exatamente o que significa, toda vez que chuta a bola ele diz "gooooo", é um barato.

Está apaixonado pelo trator de umas obras que estão fazendo ali na outra rua, dá pra ver da garagem aqui de casa. Ao menos umas 3 vezes por dia tem que levá-lo no portão para olhar o "tatá", e mais de uma vez ele chegou lá pertinho (com as máquinas desligadas, viu!) e não teve medo nenhum. Será que herdou o ranço de engenharia do avô paterno?

Se bem que também é fascinado com pequenos animais. Agora que o Fluck foi embora (ele não demonstrou sentir muita falta do Fluck, que foi doado porque ninguém tinha tempo para cuidar do coitadinho, mas ele foi pra uma família bem bacana, uma das irmãs é veterinária, foi para o bem dele), não pode ver um pássaro pousado na linha de energia lá do outro lado da rua que aponta "pá, pá". E as lagartixas, que são lagartos, na verdade né. Porque são aqueles mais escuros que ficam no muro durante o dia. Mas ele aponta e diz "tiss, tiss", e faz sinal de vem cá com a mãozinha.

Finalmente recuperou o peso que havia perdido com a tal da virose, e voltou a estar dentro da linha de crescimento da tabela (argh),  mas eu estava preocupada porque ele estava na zona amarela, e sempre esteve na média. É um bebê mignon, 10kg e 76cm, mas come extremamente bem. Ama tomate, é a coisa favorita dele em todo mundo. Ele chama de "txi", referência ao sotaque goiano da mãe que pronuncia tomaTXI. E não curte muito suco, prefere muito mais um copo de "gúa" bem gelada, que aprendeu a tomar no canudinho.

Também gosta de uva. E de arroz ou cevadinha com feijão. E de manga. Jaca (eca). Jambo. Maracujá (ele come puro, na colher, com os carocinhos e tudo). Melão. Mamão. Banana. Aliás, ainda estamos tentando descobrir alguma coisa que ele não goste. Se bem que outro dia ele estava com um pigarro e eu tentei dar um melzinho pra ele, ele não curtiu. Doce demais. Fiz uma dancinha interna de vitória porque todo esse esforço pra não viciar seu paladar está valendo a pena.

Cachinhos enormes que estão precisando ser aparados pois já estão chegando no olho e durante o dia ele fica com uma chuquinha pra não grudar o cabelo na testa. Mas eu não criei coragem pra cortar seus cabelos ainda, mesmo com todo mundo achando que ele é uma menina. 7 dentes numa boca de sorriso fácil, que conversa o dia inteiro, sozinho ou para uma platéia babona. E eu estou sempre lá, na primeira fila.

9 comentários:

Bruno Normande Lins 2 de junho de 2010 08:32  

<3

Fico orgulhoso dessa mamãe! Lindo post, bateu a saudade do afilhado e da minha mãe favorita!

=**

Anninha 2 de junho de 2010 14:19  

Nussa, quanta novidade, hein? Que idade gostosa, cheia de descobertas... tudo lindo, Nanda! Estava com saudades das postagens.

Bjo!

Isabella Isolani 2 de junho de 2010 15:16  

Olá Nanda... já vim aqui uma vez, e quando posso venho dar uma bisbilhotada nas novidades do Ben... Como já disse, minha filha tem a mesma idade do Ben. E, numa comparação 'saudável' (longe de mim ficar comparando bebês com aquele rótulo do Lamare, que com tantos meses o bebê tem que estar engatinhando, com tantos tem que estar andando... e blá blá blá...), fiquei impressionada com a 'fala' do Benjamin. Ele pode não estar andando (completamente sozinho) ainda, mas já desenvolveu a fala muito além que tantas crianças da idade dele e até mais 'velhas'.

Minha filha, por exemplo, já anda (há exato 1 mês), mas 'só' fala "mamãe", "papai" e babucia algumas sílabas na tentativa de falar as coisas, mas nada muito claro.

Sobre o peso, minha filha tb teve um 'probleminha'... Ficou 5 meses sem ganhar um grama sequer (chegou a perder meio kilo quando pegou um Rotavírus), mas fui forte e não dei o tal 'Pediasure'que a pediatra recomendou. Dei levedo de cerveja e, às vezes, dou aquela multimistura (multifarinha, sei lá). Ela deu uma engordada, mas mesmo assim é bem mignonzinha comparada à linha média de peso para a idade (hoje deve estar com uns 8kg...). Eu acho isso o máximo, pois ainda dou minhas slingadas com ela sem me cansar muito... rsrsrs...

Adoro seu blog!! E, parabéns pelo filhote. O desenvolvimento dele está lindo.

beijão. Isa.

Nathaly R. Cavalcante 5 de junho de 2010 20:50  

Leitores babando tb.

Isaac Moraes 6 de junho de 2010 15:44  

Txa... Que lindo!

Fico feliz com as mudanças maravilhosas da tua vida.

Você merece muito isso, e tudo mais de bom!

Sempre na torcida pela tua felicidadee dos teus. Amo-te!

Isaac Moraes 6 de junho de 2010 15:44  

Txa... Que lindo!

Fico feliz com as mudanças maravilhosas da tua vida.

Você merece muito isso, e tudo mais de bom!

Sempre na torcida pela tua felicidadee dos teus. Amo-te!

Anderson Santos 7 de junho de 2010 14:30  

"gooooo" - Esse é dos meus. Pena que o Palmeiras esteja tão mal para que ele vire "naturalmente" torcedor do grande Palmeiras. Se bem que eu vi este final de semana uma boa estratégia, acho que vou falar para o Victor.

Além disso, ele também gosta de tomate? Minha mãe sempre me conta e para os outros que com um ano de idade ia ao mercado, pegava um tomate da banca e comia direto.

Nanda 9 de junho de 2010 20:10  

Muno, eu também estou com saudades! Haha, apareça!

Anninha, nem adianta eu prometer postar com mais frequencia porque né... Não vou. ahueheauae

Isa, eu também fico bem impressionada com a fala de Ben. Ele tem um amiguinho no prédio em frente que só fala mamã, mas já anda, sobe nas coisas. São lados diferentes do cérebro, né. Quando desenvolve um mais rápido, o outro fica pra trás. Ele é extremamente tagarela, sempre foi, mas aqui em casa todo mundo conversa pelos cotovelos, não tinha como ser diferente... E eu tive sorte que a pediatra de Ben nunca receitou nada, nunca criticou a dieta dele, pelo contrário, se eu demonstrasse alguma angústia com a estagnada do peso ela me tranquilizava. Dei sorte né!

Brigada, Isaac! Eu também acho que merecia um pouquinho de tranquilidade, agora é só trabalhar e fazer acontecer!

Andinho, eu acho que é dos seus sim. Porque o brinquedo favorito dele é bola, qualquer bola. Comprei uma de borracha, de futebol, e ele não pode vê-la à distância que quer chutar e falar gooooo. E o tomate é bem parecido com o que você fazia, não pode ver na bancada da cozinha, no supermercado... Só que eu não deixo comer direto da banca da feira porque né, agrotóxicos.. Hahaahaha! Só os da feira camponesa! E pode me falar qual é a estratégia, viu? Eu também faço parte da "educação" dele! Mesmo a futebolística... hohoh

Nanda 9 de junho de 2010 20:11  

Eita, pulei a Nathy. Se você ficou babando com esse post, espere o próximo, muito mais fofura! Hohoho