9.6.10

Primeiros passos

Antes de ser mãe, eu achava que as primeiras coisas dos bebês eram acontecimentos enormes, que haveria música e jogo de luzes quando ele falasse a primeira palavra, ou desse os primeiros passos sozinhos, como no jogo The Sims.

Mas o negócio não funciona bem assim. Falar, andar, e todos os infinitivos tão aguardados pelos pais de primeira (e segunda, e terceira) viagem, são coisas que se aprendem, e como todo aprendizado, é gradual. Um dia ele engatinha pra lá, outro dia fica em pé no sofá, na outra semana segura seu dedo e sai andando e quando você menos espera, vira-se para você e caminha sozinho, sem dedo e sem medo.

Eu falei no post passado que Ben estava quase andando sozinho. Poucos dias depois do post, mais precisamente no domingo (5), eu estava me recuperando de uma dengue (foi fraquinha, gente) e ninguém contou pra Benjamin, porque ele estava com força total. Enquanto ele brincava pela casa, eu me escorava nas paredes, mais dormindo do que acordada, até que ele virou-se para mim e atravessou a pequena distância que nos separava, como se sempre tivesse feito isso na vida.

Não foi, de fato, a primeira vez que ele fazia isso, mas ele sempre o fez de forma desajeitada, insegura, mais por acidente do que por certeza. Mas fez essa vez e foi só isso, como quem diz "olha só, eu sei fazer, agora quer segurar a minha mão e ir comigo ver a terra?"

No outro dia, cheguei exausta do trabalho, último dia de jornada dupla. Fui recebida por gritos histéricos do meu sobrinho, seguido de gritos histéricos do restante da família mandando-o ficar quieto. Fui avisada que tinham uma surpresa para mim. Colocaram meu pequeno no chão e ele veio, caminhando, todo seguro de si, atravessando uma distância que eu nunca havia cogitado. Veio sorrindo, com aquele caminhar trôpego dos que experimentam coisas novas. Andando.

Senti um misto de alegria e tristeza. Alegre por ver Benjamin conquistando mais um marco específico que lhe era tão cobrado, pobrezinho, e tristeza por não ser eu a vivenciar isso. Mas foi uma tristeza meio incerta, meio sem entender, afinal, ele já andava antes, ou ele andou naquela segunda-feira? O que, exatamente, são os primeiros passos?

Talvez eu esteja me perguntando pra me isentar da culpa de não ter estado aqui no momento específico, com a música e o jogo de luzes, ou talvez os primeiros passos não sejam uma coisa certa, aquilo que vemos em filmes (Olha quem está falando formou meu caráter.)

Mas não me importa. Ele ainda prefere muito mais caminhar segurando a minha mão, e atravessa grandes distâncias muito mais seguramente quando engatinha. Ainda não é um caminhante oficial. Mas quando começar, o mundo será bem pequeno para ele. E ele precisando da minha mão ou do meu colo, só precisa pedir.

4 comentários:

Érika Zemuner 9 de junho de 2010 21:31  

Acho tão legal acompanhar pelo seu blog o crescimento do Benjamin. Quando ele souber ler, com certeza também vai adorar.

Acho que essas descobertas não vão acabar nunca, né. Um dia é a primeira palavra, depois o primeiro passo, logo ele estará escrevendo as primeiras letras, mostrando o primeiro "10" da escola... E você aí, sempre apoiando e aplaudindo.

Érika Zemuner 9 de junho de 2010 21:34  

E bora atualizar o layout, mulher! O menino ainda tá com 10 meses aqui no blog!

Acho melhor você arranjar um que não fique ultrapassado... Hehe.

Bruno Normande Lins 9 de junho de 2010 21:36  

^^ acho que deixar de ver o primeiros alguma coisa não tem muita importância... claro, que a felicidade de presenciar tal coisa deve ser muito grande u_u

Mas acredito que o mais importante vc já faz: dar 100% de vc por seu filho. Nunca ví mãe igual ^^

saudades.
=*

Anninha 9 de junho de 2010 21:52  

Olhaí, Ben andando, hehehe! Aproveita só a parte da felicidade, mulher. Deixa esses 300kg de sentimento de culpa pra lá. Tu és uma mãe mais que especial! Beijocas!