6.12.10

Porque eu não trato com alopatia, Vol. I

Benjamin esteve doente, recentemente. Muito, muito doente. Doente do tipo de ter que tirar raio-x do pulmão e ir pra emergência seguidas vezes. Doente do tipos de eu ter me tornado aquelas mães que tem técnicas para aplicar nebulização, pingar soro fisiológico no nariz e dar aquele remédio ruim de doer, já que essas coisas acabaram se tornando parte da rotina.

Como eu já falei aqui algumas vezes, Benjamin é tratado com homeopatia. E como eu já expliquei, a homeopatia não serve para tratar a doença, ela trata o doente. Mas como fazer pra tratar o doente se o médico não consegue avaliar o paciente?

Ben tinha consulta de rotina marcada para o começo de novembro. Calhou de a doença ter começado a se mostrar mais do que uma virose resiliente nessa mesma época. Claro que coincidências felizes não acontecem comigo, então a médica remarcou para daí a uma semana. Oquei, então leva na emergência só pra descartar pneumonia, ignora os remédios passados e segura as pontas...

...not really, porque na outra semana a médica remarca novamente. Nesse ponto, Benjamin já começara a ter dificuldades para dormir, pois a tosse era tão intensa que o acordava, então emergência e um pé na bunda da médica que só atenderia em dezembro.o que nos restou apenas com o calor humano da emergência.

E o antibiótico. Quando o raio-x veio com uma mancha no pulmão que indicava início de pneumonia, eu esqueci tudo que havia lido sobre isso no Como criar um filho saudável apesar do seu pediatra e meti antibiótico no menino né. 7 dias de "qué não, é ruim, emedinho osa não, FAVÔ MAMÃE!", 1 semana de segurar o coração nas mãos, o menino no colo e forçar aquele negócio que até eu tomaria chorando.

Ok, melhorou né. Mas cá estamos, uma semana depois do fim do "tratamento" e cheio de catarro secreção nasal novamente. A tosse voltando, cada vez mais chiada. E a respiração tão difícil que ele está até recusando o mamá.

E ai de quem me disser que "Ah, menino na escola é assim mesmo, nunca fica bom" e/ou "Se não melhorou foi porque não deu antibiótico por tempo o suficiente." Não só NÃO CUROU quanto não serviu pra impedir a infecção de retornar. Então lá volta o cão arrependido pra homeopatia, e dessa vez nunca mais olharemos pra grama do vizinho, que só é mais verde por causa dos agrotóxicos.

2 comentários:

Anninha 6 de dezembro de 2010 23:50  

Postagem que veio a calhar, viu, amiga? Isis teve febre ontem e uma crise de choro hoje. Corro pra emergência pra descartar inflamação ou algo do tipo. Ok, tudo bem, tudo em paz, apenas tenho uma filha escandalosa (a quem ela puxou, hein?).

Mas eis que a pediatra de plantão não queria que eu saísse de lá sem nada nas mãos e prescreveu um ant-hiestamínico. Ouxi, pra que, né? E minha filha tem alergia? Como a médica adivinhou, hein? Afffffff!

Amanhã a homeopatia da pequena está pronta e a gente vê se reequilibra esse pequenino organismo.

Beijocas pra vcs!

PS: sou tão solidária que estamos concorrendo ao mesmo prêmio, mas mesmo assim votei em vcs, rs. É um mínimo que eu poderia fazer depois de copiar sua ideia. =P

Débora Accioly 15 de dezembro de 2010 22:06  

Own!

Ódio da pediatra. :X

E hoje, como ele está?