5.8.11

A saga da escova de dente

Eu gostaria muito que isso fosse um publieditorial, porque estaria sendo paga para isso. Mas não éEssa é minha tentativa de A) voltar a atualizar o blog sempre e B) voltar a dar dicas .

Ano passado, Benjamin foi à sua primeira consulta ao dentista, e eu obviamente não bloguei a respeito, sendo a inconsequente que sou. A dentista dele foi um amor, e nos deu uma escova de dente do Cocoricó. Como eu sou fã de Cocoricó, apesar de não ser fã de objetos de uso diário com personagens e afins, deixei. Principalmente porque a escova é maravilhosa: tem um cabo longo e uma cabeça pequena, a escova em si não tem nenhum enfeite, e todas as unidades vem com uma caixinha protetora.

Ele usou essa escova (não a mesma, claro) por mais de 1 ano, apesar de termos tentado evoluir com sua dentição, afinal, a escova é de 4 a 24 meses, chama-se "Meu 1º dente" e não é adequada para um ser humano com 16 dentes na boca. Eu relutava em trocar, apesar de ter experimentado vários modelos, um pior do que o outro.

Não sei se as pessoas que projetam escovas de dente para crianças de fato tem crianças em casa, mas penso que não. Normalmente, as escovas de dente que se dizem de 2 a 5 anos tem o cabo pequeno, a cabeça enorme e são muito, muito feias enfeitadas. Se o seu filho de 2 anos escova os dentes sozinho (e fica perfeito), teach me please, mas o fato é que adultos tem mãos grandes e precisam de mais espaço no cabo para manusear a escova.

E a cabeça da escova de dente, ainda que fosse menor do que a minha, ainda era grande demais para a boca de Benjamin. E a escovação, que normalmente não dá muito trabalho, virava um pandemônio com essas escovas.

Fizemos vistas grossas e continuamos com a Cocoricó, 24 meses, 25 meses, 26 meses, 27 meses..! Só que aqui em Maceió só existe dessa escova em casas especializadas, e elas foram ficando muito frágeis para a mandíbula de ferro do meu pitbull. Não, sério: a escova estava durando 2 a 3 semanas! Em março eu comprei logo um estoque de escovas (todas as que haviam naquela unidade da loja), mas as últimas (uma da escola, outra de casa) estavam em um estado deplorável até antes de ontem.

Um belo dia eu estou exercendo minhas atividades de gerente domiciliar e reabastecendo a casa em um hipermercado, quando me deparo com um modelo novo de escova. Devo admitir que caguei no pau e o que me chamou a atenção na escova foi o fato de ser das Princesas do Mar, personagens pelas quais eu tenho um imenso carinho por serem brasileiras, criação de Fábio Yabu, nerdcaster reincidente.

Eu nem estava ligando para o fato das princesas serem teoricamente de menina, o Benjamin adora o desenho, e eu compraria se a escova fosse da Ester, da Tubarina ou da Polvina. Mas não era. Era do Marcelo, o príncipe dos tubarões-martelo (quem se lembrou da Ruth Rocha levanta a mão!), e Marcelo estampava um lindo e longo cabo feito para mãos de adultos!  E uma cabeça pequena - maior do que a do Cocoricó - mas do tamanho exato da boca de uma criança de 2 anos.

E Benjamin amou a escova, eu amei a escova, somos uma grande bola de amor e pasta de dente (que permanece sendo do Cocoricó).

3 comentários:

Jessica Penalva 5 de agosto de 2011 19:06  

A primeira escova da Mayu foi perfeita, ainda bem, pq parece que é mesmo dificil se achar uma escova de dentes boa enão apenas "bonitinha"

Anne 5 de agosto de 2011 23:17  

Puts, se eu te contar o sacrifício que é (tentar) escovar os dois dentes e meio da Isis! Ainda bem que a Tooth Fairy, sabendo disso, decidou ir devagar com a entrega dos dentes por aqui. Acho que essa escova do Cocoricó ainda nos serviria. Será que ainda encontro alguma na loja especializada? E onde vc encontrou essa das Princesas do Mar?

Aliás, como vc consegue escovar os dentes do Ben? Aqui é problema, já tentei um mundo e meio de estratégias... helpppppppp!

Beijocas!

Nanda 5 de agosto de 2011 23:24  

Jessica, essa primeira escova do Ben também foi perfeita. Tanto que durou muito além do que deveria durar! Deviam colocar mães como beta-testers das escovas antes de jogá-las a esmo nas prateleiras do supermercado!! (;
Anne, como eu parei de sequestrar o estoque de escovas do Cocoricó aqui em Maceió, é capaz de você ainda achar na Casa do Médico. Em Goiânia eu achava na farmácia da esquina, mas aqui em Maceió, só lá mesmo!
No começo, escovar os dentes de Ben também não era piquenique: era ele com uma escova dele, e eu entrando com a outra no canto.
Aqui tem duas coisas: o escovar de dentes faz parte do "ritual de sono", e é regra. Eu tenho uma brincadeira para escovar os dentes dele, e ele só deixa quando faço essa brincadeira (canto uma versão de "Que que tem na sopa do nenem" trocando sopa por boca, e os ingredientes pelas coisas que ele comeu no café/almoço/jantar, ele adora e me ajuda a lembrar.
Quando ele está com muito sono, ou simplesmente com a macaca, eu falo sério. Ele sabe que escovar os dentes é regra, e que ele só vai poder escovar sozinho depois que eu terminar. É uma das "regras de ouro", então ele raramente encrenca com isso!
Ai, dá outro post né? Hahaha... Beijão!